Portal do Governo Brasileiro

Atletas militares conquistam os pódios dos Jogos Pan-Americanos de Toronto

Brasília, 15/07/2015 -– Nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, o mundo tem observado com curiosidade um determinado comportamento dos atletas brasileiros que sobem ao pódio. Muitos deles têm prestado continência à bandeira do Brasil na hora da execução do Hino Nacional.

Não por acaso esse comportamento diferenciado. Esses campeões são militares que integram o Programa de Atletas de Alto Rendimento dos Ministérios da Defesa e do Esporte. A continência é a saudação prestada pelo militar e pode ser individual ou da tropa.

"Represento o Exército Brasileiro. Somos ensinados que, sempre que o hino toca, o militar, por respeito, tem de prestar continência e ficar em posição de sentido. É uma forma de respeito pela minha bandeira e meu país", diz Léo de Deus, campeão dos 200m borboleta. "É pelo orgulho que temos de representar as Forças Armadas", completa o também judoca Luciano Correa.

Os atletas militares têm direito a soldos, 13º salário, locais para treinamento, recursos humanos qualificados nas comissões técnicas, participação nas competições do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), além de plano de saúde, atendimento médico, odontológico, fisioterápico, alimentação e alojamento. Os atletas também são beneficiados pelas bolsas Pódio e das categorias Olímpica, Internacional e Nacional do Ministério do Esporte.

Medalhas

Das 41 medalhas conquistadas pela delegação brasileira até o momento, 17 (41%) são de atletas que fazem parte das Forças Armadas. Na somatória de medalhas dos atletas militares, sete são de ouro, duas de prata e oito de bronze.

 O judô foi a modalidade até agora que mais levou atletas ao pódio. Entre eles, estão os medalhistas do Exército Brasileiro Tiago Camilo, Charles Chibana, Felipe Kitadai, Luciano Correa e Victor Penalber. Os também campeões representando a Marinha do Brasil são Erika Miranda, Maria Suelen, Rafaela Silva, Nathalia Brigida, Mayra Aguiar, Mariana Silva e Maria Portela.

O sargento do Exército, Felipe Wu, também levou a bandeira brasileira ao ponto mais alto do pódio, conquistando a medalha de ouro na modalidade tiro. Representando a Força Aérea Brasileira, o sargento Alex Tjon, na modalidade badminton (dupla mista), conquistou o bronze.

Outra modalidade em que a delegação brasileira tem se destacado é a natação. Os sargentos Leonardo de Deus, Joana Maranhão, João de Lucca, Etiene Medeiros, Daynara de Paula, Graciele Herrmann e Larissa Martins também aumentaram o quadro de medalhas do Brasil nestes Jogos Pan-Americanos de Toronto.

A expectativa é que até o fim das competições do Pan, que se encerra no dia 26 de julho, os atletas militares tragam mais medalhas para o País. As apostas estão nas modalidades de atletismo, badminton, natação, vôlei masculino e feminino e basquete também nas duas categorias.

Dos 600 integrantes da delegação brasileira, 123 são militares. “”Essa é sem dúvida a nossa maior participação em jogos pan-americanos””, avaliou o diretor do Departamento do Desporto Militar (DDM), do Ministério da Defesa, brigadeiro Carlos Augusto Amaral Oliveira.

“Além do Pan, estamos trabalhando de forma contínua para os 6º Jogos Mundiais Militares que vão ocorrer na República da Coreia, em outubro deste ano. Mas nosso objetivo maior é os Jogos Olímpicos Rio 2016””, complementou o brigadeiro Amaral.

Alto Rendimento

A maioria dos atletas militares faz parte da elite do esporte brasileiro e, desde 2008, do Programa de Atletas de Alto Rendimento (PAAR) das Forças Armadas. Em sintonia com o planejamento do Brasil no cenário esportivo, os Ministérios da Defesa e do Esporte estão unidos para fortalecer o esporte nacional. O apoio visa dois objetivos comuns: defender a bandeira do país na 6º edição dos Jogos Mundiais Militares 2015, na Coreia, e nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Os resultados já deram frutos. Para ter uma delegação competitiva e representativa na 5ª edição dos Jogos Mundiais Militares, ocorrida em 2011, no Rio de Janeiro, a Marinha e o Exército incorporaram em seus quadros os atletas do Time Brasil. A iniciativa permitiu uma posição de destaque no cenário mundial militar, com a conquista do primeiro lugar no quadro de medalhas, com 114 medalhas entre os cem países participantes.

Nas Olimpíadas de 2012, em Londres, o Brasil teve representação de destaque, com uma delegação de 256 membros, entre comissão técnica e atletas, dos quais 65 eram atletas do PAAR. O país voltou para casa com 17 medalhas, cinco delas de atletas militares. A ação é alinhada ao trabalho estratégico do Comitê Olímpico do Brasil (COB), de confederações e clubes, com o objetivo de fortalecer o esporte brasileiro.

Atualmente, 610 militares fazem parte do Programa Atleta de Alto Rendimento, sendo 222 da Marinha, 200 do Exército e 188 da Força Aérea Brasileira.


Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071  

 

Saiba mais

Brasil nos JMM

Veja a evolução da participação dos atletas militares brasileiros desde a primeira edição, realizada em 1995, na Itália

Defesa e Esporte

Entenda a relação entre o esporte e as Forças Armadas e os caminhos que o Brasil traçou para ser uma potência esportiva militar

Mundial Militar

Entenda a importância dos Jogos Mundiais Militares, um evento que se tornou o terceiro maior evento esportivo do Mundo