Portal do Governo Brasileiro

Taekwondo traz medalhas para o Brasil

Mungyeong, 08/10/2015 – O taekwondo ajudou o Brasil a manter-se firme na disputa com a China no ranking de medalhas. Nos tatames do complexo esportivo Kafac, os atletas militares conseguiram três medalhas, duas de ouro e uma de prata, sobre lutadores do Irã. O combate mais emblemático foi da sargento do Exército Iris Silva Tang Sing, na categoria menos de 46 kg. Após a vitória Iris desabafou: “Essa medalha representa estar mais próxima dos Jogos Olímpicos. Foi uma vitória conseguida com muito sacrifício e suor”.

Ela derrotou a iraniana Nahid Kiyanichandeh no golden point, e conseguiu somar mais 20 pontos rumo à classificação para os Jogos Olímpicos. Descendentes de chineses, Tang Sing tem enfrentado uma rotina extenuante em 2015. “Este ano fiquei apenas 20 dias em casa. Antes de chegar à Coreia para disputar os Jogos Mundiais Militares fiz um circuito que incluiu Argentina, México, Israel e Turquia”, explica. “Mas a medalha recompensa todo esse sacrifício”, conclui. 

A lutadora integra o Programa Atleta de Alto Rendimento do Ministério da Defesa, o que assegura soldo e mais benefícios médico-odontológico, além de estrutura para treinamento. A sargento Tang Sing ressalta a importância do suporte oferecido pelo programa. “Essa foi a melhor coisa que fizeram pelo esporte no Brasil. Hoje dependo praticamente desse salário, inclusive para poder fazer empréstimos para as viagens, para poder lutar”, explica.

A rotina nos vários aeroportos pelo mundo não termina com essa competição. As escalas internacionais incluem ainda Inglaterra, onde disputa o Grand Prix, Cazaquistão e México.    

No masculino, o sargento da Marinha Venilton Torres Teixeira bateu o iraniano Mahdi Eshaghi numa luta de recuperação. Na categoria com até 54 kg, Venilton golpeou o lutador do Irã e conquistou ouro. Especialmente para os Jogos Militares, ele teve de fazer uma dieta e perdeu 11 kg em apenas dois meses. “É um orgulho muito grande poder representar o meu país”, afirma  Venilton, que em apenas quatro anos como lutador, já coleciona resultados expressivos, como o bronze no mundial da Rússia e 18o no ranking olímpico.   

Na terceira decisão até 63 kg, o sargento da Marinha Guilherme Dias Alves não conseguiu superar o iraniano Abolfazl Yaghoubijoubai. Saiu do tatame com a medalha de prata. “Este ano foi difícil para mim, pois fiquei fora do mundial e do Pan. Essa competição era uma das minhas prioridades. Os resultados de hoje mostram que o taekwondo brasileiro tem um time forte e competitivo”, afirma.  

O técnico principal da equipe brasileira de taekwondo, tenente da Marinha Belmiro Giordano, ressaltou o alto nível da competição. “Fizemos três finais com os iranianos, que atualmente são a maior potência no esporte. Ganhamos duas finais. Foi um resultado extraordinário levando em consideração o alto nível dos competidores”, ressalta o técnico.    

Texto: Tenente Flávio Nishimori e Roberto Cordeiro
Fotos: Felipe Barra

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071

 

Saiba mais

Brasil nos JMM

Veja a evolução da participação dos atletas militares brasileiros desde a primeira edição, realizada em 1995, na Itália

Defesa e Esporte

Entenda a relação entre o esporte e as Forças Armadas e os caminhos que o Brasil traçou para ser uma potência esportiva militar

Mundial Militar

Entenda a importância dos Jogos Mundiais Militares, um evento que se tornou o terceiro maior evento esportivo do Mundo