Portal do Governo Brasileiro

Natação dá mais seis medalhas ao Brasil que garante segundo lugar no quadro da modalidade

Gimcheon, 08/10/2015 – Os atletas da natação do Brasil viveram mais um dia de disputas acirradas na piscina de Gimcheon, na República da Coreia, e saíram com mais medalhas. Na prova de 50 metros costas, dois atletas no pódio: Nicholas dos Santos, sargento do Exército, ganhou medalha de ouro, enquanto Henrique de Souza Martins, também sargento do Exército, ficou com a prata. Com esse desempenho, o Brasil está em segundo no quadro de medalhas da modalidade, atrás apenas da China.

A noite já havia começado com dois bronzes na prova dos 100 metros livres, com Graciele Hermann e Nicolas Nilo Cesar de Oliveira. Na prova feminina, a atleta Charlotte Bonnet, da França, quebrou o recorde em competições da prova no esporte militar, com 54s95. Graciele bateu aos 56s47. Para fechar a noite, mais duas medalhas no revezamento 4x100 medley: no masculino, o Brasil ficou com a prata. No feminino, com o bronze.

O Brasil tem mais dois dias na busca por medalhas. Somando os primeiros dias de competição, foram 13 premiações para o Brasil na modalidade, sendo quatro de ouro. A distribuição de medalhas na natação reflete o atual quadro de medalhas geral da competição, com Rússia, China e Brasil dividindo grande parte dos pódios. Nos Jogos Mundias Militares realizados no Rio de Janeiro, em 2011, o Brasil ficou em primeiro lugar no quadro de medalhas. Para a edição coreana, o objetivo é ficar entre os cinco primeiros países.

Nomes conhecidos do esporte nacional vieram à República da Coreia para reforçar a delegação brasileira. A gaúcha Graciele Hermann, que além do bronze desta quinta-feira, conquistou uma prata no primeiro dia de competições, disse estar feliz por contribuir para o resultado geral do país. “A cada caída na água, a gente procura dar o máximo para ajudar as Forças Armadas”, afirmou. Para Nilo de Oliveira, o mundial militar é uma boa oportunidade de competir antes da seletiva para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

As quebras de recorde foram frequentes nessas duas noites em que os atletas militares dominaram as piscinas. Os resultados são prova do desenvolvimento da modalidade nas competições do Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM, na sigla em francês) e do alto nível dos atletas que representam os países nos Jogos.

 

Texto: Tenente Larissa Lima
Fotos: Sargento Johnson Barros

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071

Saiba mais

Brasil nos JMM

Veja a evolução da participação dos atletas militares brasileiros desde a primeira edição, realizada em 1995, na Itália

Defesa e Esporte

Entenda a relação entre o esporte e as Forças Armadas e os caminhos que o Brasil traçou para ser uma potência esportiva militar

Mundial Militar

Entenda a importância dos Jogos Mundiais Militares, um evento que se tornou o terceiro maior evento esportivo do Mundo